Seguidores

quinta-feira, 14 de maio de 2009

LEI DE CAUSA E EFEITO



Colhemos o que semeamos. "A sementeira é livre, a colheita é obrigatória."


A NATUREZA ESPIRITUAL DO HOMEM

Homem: Espírito Encarnado


Numerosas observações e factos irrecusáveis, (…) levaram à conclusão de que há no Homem três componentes:



A Alma ou Espírito, princípio inteligente, onde tem a sua sede o senso moral.



O Corpo, invólucro grosseiro, material, de que ele se reveste temporariamente, em cumprimento de certos desígnios providenciais.



O Perispírito, envoltório fluídico, semimaterial, que serve de ligação entre a Alma e o Corpo.

(…) Esse segundo invólucro da Alma, ou Perispírito, existe, pois, durante a vida corpórea; é o intermediário de todas as sensações que o Espírito percebe e pelo qual transmite sua vontade ao exterior e actua sobre os órgãos do Corpo.

Para nos servirmos de uma comparação material, diremos que é o fio eléctrico condutor, que serve para a recepção e a transmissão do pensamento (…).

Os Espíritos são seres inteligentes da Criação. Constituem o Mundo dos Espíritos que preexiste e sobrevive a tudo. Os Espíritos são criados simples e ignorantes. Evoluem intelectual e moralmente passando de uma ordem inferior para uma mais elevada, até à Perfeição, onde gozam de inalterável Felicidade. Os Espíritos preservam a sua individualidade antes, durante e depois de cada encarnação.

Os Espíritos reencarnam tantas vezes quantas forem necessárias ao seu próprio aprimoramento.


A IMPORTÂNCIA DO CONHECIMENTO

Deus estabeleceu Leis, Leis Divinas - Universais e estas têm de ser cumpridas.


Os Espíritas têm conhecimento da Lei de Causa e Efeito. Quem estuda e aprofunda a Doutrina Espírita tem o dever e a obrigação de melhorar o seu conhecimento e de a praticar no dia-a-dia. Por cada acto efectuado que não se coadune com a Lei, incorre o Espírita em risco de estacionar, prejudicando assim a sua Evolução. Mas como Deus é Bondoso e Justo e nos Ama Incondicionalmente, dá-lhe uma nova oportunidade, na forma de reencarnação, de modo a que o trabalhador tenha a possibilidade de se melhorar.


LEI DE CAUSA E EFEITO

(Lei do Retorno ou do Círculo)



Tudo o que fizermos ao nosso irmão, de Bem ou de Mal, receberemos na mesma moeda.

“Para toda a acção, existe uma contra-acção.”

“Então, Jesus disse-lhe: Embainha a tua espada, porque todos os que lançarem mão da espada, à espada morrerão”. – Mateus 26:52.

Isso, de forma alguma, significa que temos de fazer justiça com as nossas próprias mãos, como muito entendem, muito pelo contrário, existem Leis Universais infalíveis, que, com outras Leis, governam os mundos e dão as devidas oportunidades aos decaídos (rebeldes). Não fossem essas Leis, todos poderiam hoje estar completamente perdidos e sem nenhuma chance de retornar à verdadeira casa do Pai.

A dor e o sofrimento, de que todos têm verdadeiro pavor, são os maiores instrumentos de educação Divina.

Quando o Amor não é obedecido, é a Lei de Causa e Efeito que coloca tudo nos seus devidos lugares.

“Chegou o tempo em que todas as coisas devem ser restabelecidas no seu verdadeiro sentido para dissipar as trevas, desmascarar os orgulhosos e glorificar os justos”. – Espírito da Verdade.

Pois tudo o que nos acontece de bom ou de mau possui uma CAUSA, e essa causa gera um EFEITO. Não há de forma alguma, EFEITO sem CAUSA. A CAUSA é uma amiga inseparável do EFEITO.

Se, em vez de ficarmos maldizendo o EFEITO, procurarmos a CAUSA, teremos dado um imenso passo a caminho do despertar da CONSCIÊNCIA.


FELICIDADE - OBRA INDIVIDUAL


O Amor é o alicerce da Vida e a Lei que rege o Universo e só através dele alcançaremos a Felicidade. O Amor é Deus e Deus é Amor.


O Amor Incondicional, um elemento ou prática muito mal compreendida. O Homem visa apenas a satisfação do ego ou seja, do Amor exclusivo a si próprio ou aos seus interesses – qualidade de egoísta, porque essa é a maneira do seu pensar e agir. Ele também não conhecia nada melhor devido à sua ignorância. Este facto remonta ao começo da Humanidade, e é algo que foi tão introduzido em nosso sistema de crenças, que nos esquecemos de como Amar Incondicionalmente.

O grande mentor e mestre Jesus foi o exemplo principal de como Amar Incondicionalmente, e Ele coerentemente pregou e vivenciou as virtudes desse Amor. Jesus foi o Homem de acção que nunca ensinou algo que, em última análise, não pudesse ser compreendido nem praticado. Ele disse: “Amai ao próximo e ao Inimigo”. Ele não disse que os Homens deviam se envolver emocionalmente com eles, nem que tinham de gostar deles, mas sim que deviam perdoar, pagar o Mal com o Bem, compreender e Amar Incondicionalmente.

“O Amor Incondicional baseia-se na compreensão e liberdade para se fazer e ser o que se é sem o acto de julgar ou controlar da parte de alguém.”


O Homem tem livre-arbítrio para agir, mas responde pela consequência das suas acções.


LIVRE-ARBÍTRIO

O LIVRE-ARBÍTRIO possui um significado muito profundo, pois não se trata exactamente da liberdade como a entendemos.


A liberdade a que se refere essa Lei Divina, na verdade, significa que o indivíduo somente a alcança quando aprende a se conduzir no caminho da rectidão. Esse caminho está sujeito ao direccionamento do árbitro interno, ou seja, do Juiz Interno, chamado EU SUPERIOR (Consciência). Por enquanto, a Humanidade terrestre NÃO POSSUI esse LIVRE-ARBÍTRIO que julga possuir por não estar apta ao entendimento das Leis Universais. O LIVRE-ARBÍTRIO, ou LIVRE ESCOLHA, NÃO SIGNIFICA que cada um pode fazer o que bem entende! Muito pelo contrário! Cada um deve, na verdade, procurar compreender essas Leis para não transgredi-las, pois elas actuam dentro da Lei de Causa e Efeito e são implacáveis.

A vida do Espírito, em seu conjunto, apresenta as mesmas fases que observamos na vida corporal. Ele passa gradualmente do estado de embrião ao de infância, para chegar, percorrendo sucessivas encarnações, ao de adulto, que é o da Perfeição, com a diferença de que para o Espírito não há declínio (morte), nem decrepitude (velhice), como na vida corporal; que a sua vida, que teve começo, não terá fim; que tempo lhe é necessário, para passar da infância Espírita ao completo desenvolvimento.

Mais tempo lhe é acrescentado quando a rebeldia o domina, em relação ao cumprimento das Leis, ou seja, na submissão e resignação à vontade de Deus.

Neste sentido, mais desenvolvimento intelectual e moral terá que realizar e lhe é necessário, para ultrapassar as tribulações e circunstâncias da vida corporal.

À medida que o Espírito se sintoniza (pelo entendimento e aceitação), com as Leis, vai construindo a sua Felicidade, libertando-se pouco a pouco das imperfeições morais que o infelicitam, alcançando um estado de plenitude, ou seja, de união com o Criador, que se desenvolve e aprofunda.

O seu progresso se realiza, não num único mundo, mas vivendo ele em mundos diversos de acordo com as suas necessidades evolutivas. A vida do Espírito, pois, se compõe de uma série de existências corpóreas, cada uma das quais representa para ele a ocasião de progresso, do mesmo modo que cada existência corporal se compõe de uma série de dias, em cada um dos quais o Homem obtém um acréscimo de experiência e de instrução resultante da acção da Lei de Causa e Efeito, do estudo e da educação. Mas, assim, como, na vida do Homem, há dias que nenhum fruto produz, na do Espírito há existências corporais de que nenhum resultado colhe, porque não as soube aproveitar.

A marcha dos Espíritos é progressiva, jamais regridem a nível de evolução. Eles se elevam gradualmente na hierarquia e não descem da categoria a que ascenderam. Em suas diversas existências corporais, podem descer como Homens (a nível social), não como Espíritos.

Entre os Homens, as categorias estão, frequentemente, na razão inversa da elevação das qualidades morais.

Exemplo: Herodes, era rei e Jesus, carpinteiro.

A vida futura reserva aos Homens penas e gozos compatíveis com o procedimento de respeito, ou não, à Lei de Deus.

Reconhece-se o verdadeiro Espírita pela sua transformação moral e pelos esforços que emprega para domar as suas más tendências.

Assim, não só é importante ter conhecimento das Leis, mas também praticá-las sempre, de modo a que cada dia, seja um ascender na reforma íntima e no caminho da Perfeição e que possamos dizer: “Hoje estou melhor do que ontem”.

No entanto, quem não conhece não pode ser tão responsabilizado. O mesmo já não se pode dizer dos Espíritas.

“A quem muito foi dado, muito lhe será exigido.”

É através do conhecimento, da aceitação e compreensão das Leis e da Doutrina Espírita, que nós encaramos a vida por outro prisma e que nos faz dar valor a princípios éticos (aceitáveis) e morais (educacionais), que de outra forma, na intensa actividade do dia-a-dia descuraríamos.

Alcançar a Felicidade depende de Nós. Está nas nossas mãos, não cometer os erros do Passado!...

O conhecimento aliado ao livre-arbítrio e à força de vontade de estudar, aprender e actuar, faz-nos caminhar mais depressa ou devagar.

Ninguém pode caminhar pelo outro. Orações são permitidas, mas o percurso só a cada um diz respeito. O nosso Progresso, é Individual. Aqueles que se comprazem nos prazeres mundanos, sofrem as consequências dos seus actos e perdem muitos anos em sofrimento e dor, até vencerem o Orgulho e compreenderem verdadeiramente a causa desse efeito.

Cada um tem de fazer o seu caminho e ultrapassar as suas próprias vicissitudes. O que para um é fácil, para outro pode ser difícil. O caminho é sempre em frente. Estacionamos quando persistimos nos mesmos erros.

A Felicidade que está ao alcance da nossa mão, poderá ficar a dezenas, centenas e mesmo a milhares de anos de distância. A escolha é nossa!...

A nível Espiritual, definimos Felicidade, como sendo a purificação do Espírito (o regresso à sua verdadeira essência: Deus em si), através das diversas etapas da vida corporal.

Essa Felicidade representa o conhecimento de todas as coisas, ou seja, a reunião de todas as qualidades (perfeições) intelectuais e morais de ambos os aspectos (Feminino e Masculino) – um Ser completo, ou seja, sem defeitos e sem falhas (Perfeito) e é só nessa altura que o Espírito já não necessita de reencarnar mais a não ser em caso de missão, porque atingiu o grau de Espírito Puro.

A purificação do Espírito que o conduz à Felicidade e lhe dá a Perfeição (Consciência Divina), é proporcional à sua vontade, visto que, está condicionada ao seu livre-arbítrio (liberdade de escolha entre o Bem e o Mal) e sendo assim, podemos afirmar que a Felicidade é obra Individual.

“Todos vós sereis Deuses.” – Jesus.


E quando chegar à Perfeição, o que fará o Espírito?


Será encarregado de cumprir os desígnios de Deus, colaborando com a manutenção da ordem universal e transformando-se em seu mensageiro nos mais diversos mundos habitados, vivenciando a Lei de Justiça, de Amor e de Caridade.

O trabalho nunca acabará, pois a Criação Divina é incessante e há diversos mundos em faixas de evolução diferente.

“Conhece-te a ti mesmo.”

Procura conhecer as razões pelas quais te encontras na Terra, o que vieste fazer e porque sofres.

Estas informações que decorrem das Leis soberanas da Vida, dar-te-ão sentido à existência e te farão tranquilo em qualquer situação.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...