Seguidores

domingo, 3 de maio de 2009

O BEM E O MAL




“A moral é a regra para bem se conduzir, isto é, a distinção entre o bem e o mal. Funda-se sobre a observação da lei de Deus. O homem se conduz bem quando tudo faz visando o bem de todos, porque, então, observa a lei de Deus.”

O bem é tudo aquilo que é conforme à lei de Deus; o mal, é tudo quanto dela se afasta. Assim, fazer o bem é conformar-se com a lei de Deus, fazer o mal é infringir essa lei.

Quando crê em Deus e o quer saber, o homem por si mesmo tem meios para distinguir o bem do mal, Deus lhe concedeu a inteligência a fim de que isso se verifique.

“Para escolher o bem é preciso conhecer o mal sem o praticar.”


Sendo o homem sujeito ao erro, existe um meio para que ele se aperceba que está praticando o mal e que foi ensinado por Jesus:


“Vede o que quereríeis que vos fizessem, ou não vos fizessem. Eis tudo. Assim não vos enganareis.”


Deixa Deus ao homem a escolha da senda. Tanto pior para quem toma o mau caminho: sua peregrinação será mais longa. É necessário que o Espírito adquira experiência e, para tanto, precisa conhecer o bem e o mal. É por isso que existe união entre o Espírito e o Corpo.

Se os Espíritos tivessem sido criados perfeitos, não teriam o mérito para desfrutar os benefícios dessa perfeição. Onde estaria o mérito sem a luta?

Deus não criou Espíritos maus: criou-os simples e ignorantes. Simples: sem ciência, ignorantes: sem conhecimento do bem e do mal, mas com tanta aptidão para praticar um ou outro. Os que se tornam maus, fazem-no por vontade própria.

Os Espíritos não passam pelo caminho do mal, mas pelo da ignorância. Na origem, ainda não têm consciência de si mesmos, mas existe neles um princípio, uma tendência qualquer que os arrasta para uma via ou outra.

O livre-arbítrio se desenvolve, à medida que o Espírito adquire a consciência de si mesmo. Quando cede à influência em virtude de sua liberdade, a causa está fora e não nele.

“Orai e vigiai para não cairdes em tentação.”

É o livre-arbítrio que faz o Espírito progredir ou estacionar. Progride, quando pelas suas escolhas e através do trabalho, desenvolve a sua inteligência e se eleva, pelo bem pensar e bom agir na prática do bem. Estaciona, ao repetir os mesmos erros, porque nada ele aprendeu nas existências pretéritas.

O Espírito pode estacionar, mas não regride, a não ser a nível social, facto este que é devido ao mau uso de suas faculdades, não aproveitando por isso, as oportunidades que Deus lhe concedeu para executar o seu progresso.

MUNDOS DE EXPIAÇÃO E PROVAS

São mundos materiais, destinados à Purificação dos Espíritos que aí habitam, onde predomina o mal (ausência do cumprimento da Lei de Deus), devido à ignorância espiritual (não consciência de si), das criaturas que o habitam. A Terra ainda é considerada um destes mundos, mas está a entrar num processo de fim de ciclo de Expiação e Provas para passar a ser um mundo de Regeneração, ou seja, de melhoramento moral dos Espíritos (purificação do coração), onde ainda existe o mal mas em escala reduzida. Os mundos de Regeneração (semi-materiais), são o reflexo da predominância do espírito sobre a matéria. Porém, o homem, ainda está sujeito à influência da matéria e tem que estar atento e vigilante, para não voltar a caír nos planos inferiores.

"Orai e vigiai, para não cairdes em tentação."

O mundo se afigura de acordo com o estado de espírito ou plano de consciência de cada um, e está condicionado ao grau de evolução do ser.


Nota: O Espírito não regride na sua evolução, porque o que ele aprende, não esquece.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...